Museu da Escultura Contemporânea Latino-Americana (MESCLA)

INSTITUCIONAL

O Museu da Escultura Contemporânea Latino-Americana (MESCLA) desenvolve-se a fim de tornar-se um espaço físico poético e sustentável na cidade de Itu e no campo adjacente ao centro urbano que é composto por mais duas cidades: Mairinque e Sorocaba. Localizado no interior de São Paulo, será um espaço de contemplação e interação escultórica na paisagem. O projeto, em desenvolvimento, acolherá um acervo com obras de caráter efêmero, não agressivo e integrado à paisagem.

Com intuito de amparar e enfatizar a arte brasileira, o MESCLA abraça o conceito de arte na paisagem (Earth Art, Arte Ambiental, Land Art e Urban Art). Distanciando-se do perene, as obras tornam-se sujeitas às intempéries locais assumindo a efemeridade como condição para sua preservação. Feita a partir da relação entre a natureza e o homem, a mensagem de arte na paisagem incorporada pelo MESCLA prevê interferências que fortaleçam a escultura expandida para a natureza com intervenções podendo atingir grande escala.

OBRAS

Marcia Pastore

Marcia Pastore é a primeira artista comissionada a ocupar o espaço rural do MESCLA. A artista parte dos materiais encontrados no local – terra e capim – para a realização de seu projeto: deslocar um volume de terra de 25 m x 25 m x 1,5 metros de altura. Esse deslocamento de 940 metros cúbicos de terra dá origem a outro deslocamento: o do ponto de vista daquele que observa a paisagem, propondo duas novas alturas para a observação. E ao ser observada de longe, a escultura interrompe e geometriza a linha desenhada pelo declive do terreno.

O trabalho artístico de Marcia Pastore ganhou contornos no final da década de 1980, e desde então, vem realizando exposições em instituições e galerias como o CCBB Rio, MAM SP, MAC SP, MuBE, CCSP, Caixa Cultural de Fortaleza, Centro Cultural Maria Antônia.