Artistas

  • Isabelle Borges

    Não há volume, mas há movimento. Como origamis assassinados pelo mais retilíneo ferro de passar – o tsuru de asas esplanadas, o cavalo de garupa reta – os quadros são tecidos no engano das cores da Bahia e de Berlin.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Jens Hausmann

    Haunsmann, em suas pinturas, não versa somente sobre o futuro, mas um presente gelado, dos dramas da obtenção de bens materiais e da frustração deles não bastarem. São pinturas de um mundo que já existe/ou que não ainda existe, mas mais importante, são aberturas a interpretações temporais.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Elza Lima

    É uma viajante-fotógrafa e uno essas palavras porque parece que é o caminho dos pés que aperta o botão do flash. Elza não manipula as pessoas, porque elas em foco ou no desfoque abrem-se.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Hugo Curti

    A FMA visitou o ateliê do artista Hugo Curti para entender como a ressignificação e reorganização dos objetos cotidianos gera um trabalho instigante e imaginativo, passando por fábulas, hipóteses e narrativas sobre o mundo e as relações interpessoais.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Carl Emmanuel Wolff

    Não é estranho que ele questione os desejos da arte, justamente porque para ele, existe diferença entre uma arte que responde aos anseios dos próprios artistas e aquela que é criada unicamente como resposta um mercado, assim, perdendo uma função provocativa elementar.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Mona Hatoum

    Com a maturação do seu trabalho e transferência para outros materiais, Mona começa a criar trabalhos tridimensionais, na ocupação minimalista entretanto aguda dos espaços expositivos. Ela redimensiona objetos cotidianos, tornando-os verdadeiros totens de parada.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Nicolas Vlavianos

    Nicolas Vlavianos é escultor e professor. Nascido na Grécia em 1929, fortalece suas origens ao trabalhar com o metal, criando esculturas de grande porte em que transmite leveza e organicidade.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Michelangelo

    Carrega em si a sabedoria espiritual mas não deixa de ter vontade de comunicar-se com o que criou. Há nessa pintura a experiência absoluta de Michelangelo com a tridimensionalidade. Não há uma reprodução da natureza, e sim uma sublimação, uma outra natureza mais perfeita.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)