Artistas

  • Katia Salvany

    Kátia Salvany fala sobre o processo de criação de suas performances e como transita pelo bidimensional e tridimensional. A artista conta que os trabalhos partem de diferentes sensações, que são materializadas em diversos suportes, como: desenho, gravura, escultura, vídeo e videoperformance.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Raquel Fayad

    Raquel Fayad escolheu dedicar-se às múltiplas plataformas talvez justamente por entender que o material com o que ela trabalha precisa ser tanto na literatura, nas artes plásticas, mas, e principalmente, com o delicado respeito a um tema que já foi falado e nunca foi falado o suficiente.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Carla Chaim

    A artista paulista é herdeira de outros artistas provocadores brasileiros, preocupados com o suporte e como desafiar as convenções das artes plásticas. Essa foi a missão de Hélio Oiticica, seu corpo e espaço servindo na construção de labirintos pressupondo interação. Ou de Lygia Clark, que dobrava e desdobrava bichos de metal com a esperança que nunca ficassem em pódios e pudessem sempre ser manuseados.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Alexander Calder

    É vocação do circo ser leve. De que outro modo poderia a equilibrista atravessar uma linha fina como seu terror de cair, ou mãos sustentariam os malabares em chamas? Gira a trapezista no ar. Giram os pequenos círculos dourados e triângulos vermelhos. Se o texto começa pelo circo, é porque sua leveza nunca abandonou Alexander Calder, pelo menos não simbolicamente.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Luiz Hermano

    Existem os minérios, o petróleo, as coisas em estado bruto de indefinição. Mas é a produção frenética e habilidade de metamorfosear matérias-primas que interessam ao escultor Luiz Hermano. Batedores de ovos, carrinhos de supermercado, os fios discretos do arame são os condutores que utiliza para ressignificar objetos e expôr como plástica ferida as relações quase afetivas criadas com eles.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Evandro Angerami

    Evandro Angerami fala da relação com os lugares que passa durante as viagens e como tornam-se inspiração para as pinturas. Em seu relato, explica como pintar ao ar livre influencia as suas percepções. Além disso, comenta sobre os trabalhos sociais, as ações educativas e sobre a transição da obra figurativa para a abstrata presente na nova série de pinturas.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Anita Kaufmann

    É rara a associação de leveza à escultura, quase tão rara quanto à de leveza ao amor. Os materiais utilizados para formação corpo da escultura pressupõe escavar minérios pesados, levantá-los em guindastes, entender o monólito como princípio. A ideia de se carregar a escultura na mão já parece pertencer a um campo do imaginário. É justamente no paradoxo e ambivalência de criar esculturas leves, ainda que sua temática possa incitar o pensamento sobre o opulento, que moram as esculturas da artista paulista Anita Kaufmann.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)
  • Gilvan Samico

    O conta-gotas bruxo dosava as gotas do tempo em outros tempos que não o do bicho homem: é o tempo do bicho dragão, que o conta em escamas e fogo queimando a ponta dos cactos; é o tempo do bicho sereia habitando poças e rios alentos na garganta do sertão; e é o tempo da humana Luzia, que entre feras gatunas retira a força de uma flor laranja, enraizada no medo e na fé.

    Fundação Marcos Amaro (FMA)