Programação de talks da 15ª SP-Arte

Programação de talks da 15ª SP-Arte
2 de abril de 2019 Rafael Kamada

O Talks faz parte da programação da SP-Arte e é patrocinado pela Fundação Marcos Amaro e conta com apoio do Sesi-Senai. Nesta edição, seguindo o cronograma da 15ª SP-Arte, os encontros gratuitos acontecem no auditório do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM), ao lado do Pavilhão da Bienal. São ciclos de debates com especialistas, entre curadores, diretores de instituições, entre outros personagens desse universo que debatem os principais temas da arte na contemporaneidade.

Confira abaixo a programação completa.

05 de abril


 

16h às 17h | A iniciativa privada no setor cultural

Especialistas convidados discutem caminhos possíveis para o intercâmbio entre os setores privado e institucional. Com a presença de Marcos Amaro, artista e presidente da Fundação Marcos Amaro, Silvio Frota, colecionador e fundador do Museu de Fotografia de Fortaleza, e Ricardo Pessoa de Queiroz, fundador da Usina de Arte (Pernambuco).

17h às 18h | O papel do patronato no acervo do museu

Cleusa Garfinkel e Ana Eliza Setúbal falam sobre colecionismo e sobre como o acervo museológico pode se beneficiar de doações de obras de arte, promovidas por grupos de patronos. A mesa conta com mediação de Gisele Kato.Cleusa Garfinkel e Ana Eliza Setúbal falam sobre colecionismo e sobre como o acervo museológico pode se beneficiar de doações de obras de arte, promovidas por grupos de patronos. A mesa conta com mediação de Gisele Kato.

06 de abril


 

16h às 17h | Políticas de identidade da América Latina

Paulo Miyada, curador do Instituto Tomie Ohtake e curador-adjunto da Bienal de São Paulo 2020, se aprofunda em tópicos históricos do estudo da arte latino-americana, abordando-os por um viés alternativo. A mesa conta com mediação da chilena Alexia Tala, curadora do setor Solo, focado nesta edição na América Latina.

06 de abril


 

17h30 às 18h30 | A instituição de arte na contemporaneidade

Benjamin Seroussi, da Casa do Povo, e Fernanda Brenner, do Pivô, comentam suas experiências à frente de instituições artísticas de formatos inovadores. Em complemento, a artista Graziela Kunsch fala sobre a produção artística que transita entre diferentes ambientes – do institucional ao informal.

07 de abril


 

11h às 12h | Brasil desamparado e a cidadania em construção

Josué Mattos, vencedor do Prêmio Marcantonio Vilaça na categoria curadoria, conversa com Clarissa Diniz, curadora que o acompanhou durante seu processo de pesquisa para a exposição “Verzuimd Braziel – Brasil desamparado” (2018).

15h às 16h | Para onde vamos? Inovações no mercado de arte

Os últimos anos têm se mostrado de grande transformação no mercado artístico, e com esse crescimento vem também novas fronteiras de prática e desdobramento. Carol Pino, representante do mercado latino-americano da Artsy, e Fernanda Feitosa, diretora da SP-Arte, discutem os potenciais de transformação do mercado de arte, em específico na América Latina. A mesa tem mediação da pesquisadora Ana Letícia Fialho.

07 de abril


 

16h30 às 17h30 | Novas narrativas curatoriais no Brasil

Os antropólogos Hélio Menezes e Lilia Schwarcz, do time curatorial da mostra “Histórias afro-atlânticas” (Masp), e Diane Lima, curadora do Valongo Festival Internacional da Imagem (2018), comentam sobre a inclusão de artistas até então excluídos da narrativa canonizada da história da arte.