Los Carpinteros

Los Carpinteros
31 de janeiro de 2019 Rafael Kamada

Dagoberto Rodriguez Sánchez – Caibarién, Las Villas, Cuba, 1969
Marco Antonio Castillo Valdes – Camaguey, Cuba, 1971
Alexandre Jesús Arrechea Zambrano – Trinidad, Las Villas, Cuba, 1970

 

Dagoberto Rodriguez, Marco Castillo e Alexandre Arrechea Zambrano formaram-se juntos pelo Instituto Superior de Arte (ISA), em Havana, em 1994. Durante esse período, em 1992, criaram o coletivo Los Carpinteros. Em 2003, Arrechea divulgou sua saída do grupo, que permaneceu atuante como dupla até meados de 2018, quando anunciaram sua dissolução.

Começaram um trabalho que valorizava não apenas a tradição da prática artesanal, como também para reforçar o princípio de que arte é e sempre será um forma de trabalho colaborativo. Sob um contexto polêmico, com o fim da URSS e queda do muro de Berlim, o trio atuava de maneira crítica, porém com muito humor, utilizando-se de materiais disponíveis numa Cuba sob o embargo econômico dos EUA. O humor e a ironia perduraram como elemento importante no trabalho do grupo, e do emprego de objetos confeccionados por eles mesmos, num segundo momento passaram a utilizar aqueles já prontos ou mesmo terceirizados.

A obra do Los Carpinteros fica entre a arte e o design, portanto a tradicionalidade dos objetos é corriqueiramente abordada por meio de uma sintaxe visual. A madeira é o principal material utilizado, como o próprio nome do grupo sugere. Ela é a mídia trabalhada para abordar a contradição entre os objetos e suas funções, bem como suas praticalidades  e inutilidades, sempre criticando os aspectos negativos do Regime Socialista cubano, que inibe a individualidade do ser humano ao mesmo tempo em que o banaliza através da produção em série para o consumo da população. Também trabalhavam o desenho e a aquarela, principalmente para abordar projetos arquitetônicos e do espaço público.

Em “Panera” vemos a representatividade de um objeto bélico por meio de sua desfuncionalidade: uma escultura elegantemente realizada em madeira e colocada sobre dois tripés, como se estivesse prestes a reconquistar seu papel primordial e alçar voo, levando consigo qualquer conteúdo que seja, através de seus compartimentos de reserva.

 

Panera, 2004
Madeira
87,6 x 312 x 46 cm

 

DUARTE, Luisa. Tempo de Ativismo poético. O Globo, Segundo Caderno. Rio de Janeiro, 8 Mai 2017.

FERNANDES, Pablo Pires. Da artesania a universalidade. Estado de Minas, Caderno de cultura. Belo Horizonte, 30 jan 2017.

Los Carpinteros. Website official dos artistas. Encontrado em:
http://loscarpinteros.net/#home. Acesso em 6 de Jan 2019.