Jac Leirner
19 de junho de 2018 Rafael Kamada

Jac Leirner (São Paulo, 1961) utiliza-se de objetos comuns, familiares, dispostos de maneira sequencial, que muitas vezes fazem referência  ao universo do consumo. Em “Void 21”, a artista reúne três sacolas plásticas coloridas, lado a lado, com uma outra pequena diferença entre elas. Isso não importa. O que chama mesmo a atenção são, na verdade, os recortes vazados, igualmente planejados em cada uma delas. E é exatamente isso que as tornam um elemento único, ou seja, é o vazio de cada uma que as transformam em arte. Agora sim podemos desviar nossas reflexões, da mesma forma com que elas foram desviadas de suas trajetórias naturais para estarem aqui, bem na nossa frente, em uma caixa de acrílico.