Emmanuel Nassar

Emmanuel Nassar
19 de junho de 2018 Rafael Kamada

A obra de Emmanuel Nassar (Capanema – Pará, 1949) debruça-se sobre as tradições visuais, sejam elas populares ou eruditas. Sua poética de trabalho recai, muitas vezes, sobre a expressão da simplicidade, com referências construtivas e vieses concretos.

Neste quebra-cabeças gigante, os olhos vagaram por sobre as peças desconexas e suas mensagens dispersas. Cada uma delas parece pertencer a algo conhecido, visualmente familiar, mas é quase impossível identificar. Palavras desconstruídas e cores desbotadas. É como se esses “ícones” nunca tivessem sido “ícones” um dia. Aqui, eles são meros resquícios descolados de sua originalidade, reunidos em uma composição abstrata.