Emanoel Araújo

Emanoel Araújo
14 de junho de 2018 Rafael Kamada

A pesquisa artística de Emanoel Araújo (Bahia, 1940) apresenta com muita naturalidade as influências de sua origem afro-brasileira. Nestas esculturas, no entanto, o que mostra são tendências construtivistas através dos recortes secos, firmes e bem posicionados em materiais industriais como o ferro fundido e o aço. Mas ao contrário do que o Construtivismo Russo pregou em sua máxima conceitual, na década de 1920, na escultura de Emanoel Araújo vê-se a representação visível da realidade.

Por meio de um movimento perspectivo vibracional, as esculturas podem representar, aos olhos do espectador, uma figura humana com seus braços estendidos ou até mesmo a organicidade de uma planta. Embora suas massas sejam sólidas e estáticas, fincadas no solo, a tridimensionalidade abstrata de suas figuras se posiciona leve no espaço. Mas, sim, tratam-se de esculturas construídas, não esculpidas, seja no vermelho primário, seja no branco ausente.