Farnese: um léxico da morte

Farnese: um léxico da morte
7 de dezembro de 2016 admin

Com curadoria de Ana Luísa Lima, a mostra prestigia o trabalho de Farnese de Andrade, proporcionando uma experiência sensorial-cognitiva aos visitantes

A Fundação Marcos Amaro (FMA) realiza a segunda exposição do seu acervo para fechar o ano celebrando projetos, parcerias e a pluralidade de sua coleção. Desta vez, prestigiando o pintor, escultor, desenhista, gravador e ilustrador Farnese de Andrade. As obras, recentemente adquiridas pela Fundação, serão exibidas pela primeira vez em São Paulo e ficam disponíveis para visitação até 10 de fevereiro na sede da FMA.

A curadora da mostra, Ana Luísa Lima, destaca a experiência sensorial-cognitiva que está implícita na apreciação das obras selecionadas. Para ela, é preciso afeição ao ‘Silêncio’ e um pouco de prazer na ‘Morte’ para decifrar as obras de Farnese de Andrade. Os trabalhos do artista, cada um fundado em um campo semântico próprio, são figurados com colagens, assemblages e elementos corroídos pelo mar, recolhidos nas praias e aterros.

Este fascínio pelo imensidão se faz presente em seu trabalho desta forma, por trás de suas obras, em materiais e suportes. Ana Luísa usa a palavra multilinguística Kalunga para aproximar o visitante das obras. Kalunga, que carrega em si mesma ideia de imensidão e que designa a um só tempo: Deus, a Morte e o Mar. Sim e Não da matéria, a Vida e a Morte mais próximas do que opostas.

O artista

Farnese de Andrade Neto (Araguari, Minas Gerais, 1926 – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1996) foi um importante pintor, escultor, desenhista, gravador e ilustrador. Após trabalhar como ilustrador em diversos veículos jornalísticos, começou a frequentar o Ateliê de Gravura do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM/RJ), onde aperfeiçoou-se em gravura em metal. Em 1964, começou a criar obras com materiais coletados nas praias. Como suporte, utilizava também armários, oratórios, gamelas e peças recolhidas em depósitos de materiais usados. Trabalhava também em resina de poliéster e materiais perecíveis.

Serviço

Farnese – Um Léxico da Morte
Curadoria: Ana Luísa Lima
De 07/12 a 10/02
De segunda a sexta-feira, de 10h00 às 18h00
Entrada Gratuita